Atividade antifúngica de óleos essenciais de alecrim (Rosmarinus officinalis) e cravo (Syzygium aromaticum) em pão de forma

Autores

  • Aline Ferreira Santos IFNMG - Campus Salinas
  • Matheus Firmino Jardim IFNMG - Campus Salinas
  • Monique Silveira Ramos IFNMG - Campus Salinas
  • Iuri Procópio Castro Brito IFNMG - Campus Salinas
  • Catrine Almeida IFNMG - Campus Salinas
  • Bruna Castro Porto IFNMG - Salinas

DOI:

https://doi.org/10.46636/recital.v3i2.160

Palavras-chave:

Fungos. Vida de prateleira. Conservante natural.

Resumo

Pão de forma é um produto que possui alta atividade de água, o que propicia uma maior probabilidade à deterioração microbiana, sendo os fungos os principais microrganismos causadores da redução de sua vida útil. Esse trabalho objetivou avaliar a atividade antifúngica de dois conservantes naturais, óleos essenciais de alecrim e cravo, em comparação a um conservante químico amplamente utilizado em pães, o sorbato de potássio. Além de avaliar o teor de umidade e a atividade de água. Para isso, pães de forma foram produzidos, submetidos a tratamento por aspersão com os três conservantes e tiveram as contagens de fungos filamentosos e leveduras determinadas nos tempos 0, 8 e 16 dias. O teor de umidade e atividade de água dos pães foram obtidos no tempo 0 e observou-se que os resultados estavam de acordo com o encontrado na literatura. Notou-se que o óleo essencial de cravo apresentou atividade antifúngica semelhante ao sorbato de potássio, com menor contagem de fungos ao longo do tempo, quando comparado ao óleo de alecrim e controle. Sendo assim, pode-se concluir que o óleo essencial de cravo é um substituinte em potencial para o sorbato de potássio como conservante.

Downloads

Publicado

22.10.2021

Como Citar

SANTOS , A. F.; JARDIM, M. F.; RAMOS , M. S.; BRITO, I. P. C.; ALMEIDA, C.; PORTO, B. C. Atividade antifúngica de óleos essenciais de alecrim (Rosmarinus officinalis) e cravo (Syzygium aromaticum) em pão de forma. Recital - Revista de Educação, Ciência e Tecnologia de Almenara/MG, [S. l.], v. 3, n. 2, p. 177–189, 2021. DOI: 10.46636/recital.v3i2.160. Disponível em: https://recital.almenara.ifnmg.edu.br/index.php/recital/article/view/160. Acesso em: 3 fev. 2023.