Modelagem da fragilidade ambiental potencial de Almenara, Minas Gerais

  • Luciano Cavalcante de Jesus França Doutorando em Engenharia Florestal, Universidade Federal de Lavras (UFLA)
  • Eduarda Soares Menezes Doutoranda em Ciência Florestal, Universidade Federal dos Vales do Jequitinhonha e Mucuri (UFVJM)
  • Sandra Titon Custódio Mestra em Ciência Florestal, Universidade Federal dos Vales do Jequitinhonha e Mucuri (UFVJM)
  • Marcelino Santos de Morais Professor Adjunto, Curso de Geografia (FIH), Universidade Federal dos Vales do Jequitinhonha e Mucuri (UFVJM)
  • Danielle Piuzana Mucida Professora Associada, Curso de Geografia (FIH) e PPG em Ciência Florestal , Universidade Federal dos Vales do Jequitinhonha e Mucuri (UFVJM)
Palavras-chave: Manejo de Ecossistemas, Ordenamento Territorial, Planejamento Ambiental, Processo Hierárquico Analítico, Sistema de Informações Geográficas

Resumo

Problemas relacionados a fragilidade de ecossistemas naturais à degradação ambiental têm sido motivo de discussões de ordem global entre cientistas e formuladores de políticas públicas. Neste sentido, esse estudo teve como objetivo modelar a Fragilidade Ambiental Potencial (FAP) do município de Almenara, Minas Gerais, visando o reconhecimento de potencialidades do meio biofísico susceptíveis à instabilidade ambiental natural e identificação de áreas para priorização à conservação. Utilizou-se a modelagem espacial a partir de uma análise de multicritério. Considerou-se 5 critérios para a avaliação: declividade do terreno, classes de solos, hierarquia fluvial, domínios geológicos e pluviosidade. Foram atribuídos pesos de fragilidade ambiental para as respectivas sub-classes de acordo com metodologia clássica: (I) Baixa, (II) Levemente Baixa, (III) Média, (IV) Alta e (V) Extremamente Alta. Por combinação linear ponderada gerou-se o mapa final de FAP. Aplicou-se o Analytic Hierarchy Process (AHP) para a determinação da hierarquia de importância dos critérios avaliados e cálculo do índice e razão de consistência da matriz AHP. Os resultados demonstraram que 29,72% da área de estudo apresenta alta fragilidade ambiental. O mapa de FAP poderá apoiar estratégias de ordenamento territorial e planejamento ambiental.

Biografia do Autor

Luciano Cavalcante de Jesus França, Doutorando em Engenharia Florestal, Universidade Federal de Lavras (UFLA)

Doutorando em Engenharia Florestal pela Universidade Federal de Lavras (UFLA), na área de Manejo Florestal. Atua no Laboratório de Estudos e Projetos em Manejo Florestal (LEMAF) e integra o GOPLAN - Grupo de Planejamento e Otimização. É representante discente do Programa de Pós-Graduação em Engenharia Florestal da UFLA. É Mestre em Ciência Florestal pela Universidade Federal dos Vales do Jequitinhonha e Mucuri (UFVJM), na área de Recursos Florestais, com ênfase em Análises Multicritério em SIG aplicado a conservação e restauração de ecossistemas, com experiência internacional 'sanduíche' na Faculdade de Ciências (FCUP) da Universidade do Porto (Portugal). É Engenheiro Florestal formado pela Universidade Federal do Piauí (UFPI).

Eduarda Soares Menezes, Doutoranda em Ciência Florestal, Universidade Federal dos Vales do Jequitinhonha e Mucuri (UFVJM)

Engenheira Florestal graduada pelo Instituto Federal do Norte de Minas Gerais - Campus Salinas (2012 - 2017), Mestra (2018) e Doutoranda em Ciência Florestal na Universidade Federal dos Vales do Jequitinhonha e Mucuri. Tem experiência em recuperação de áreas degradadas, análise de paisagem, sistema de informações geográficas, silvicultura com enfoque na avaliação de substratos alternativos na produção de mudas; ecologia, comportamento, potencial competitivo, capacidade fitorremediadora, adubação e ecologia de espécies florestais nativas; avaliação de recipientes e espaçamento de mudas florestais. Participa constantemente de eventos de cunho científico, buscando troca de conhecimento, complementação, atualização da formação acadêmica e apresentação de trabalhos científicos. Em relação a experiência profissional, realizou estágios nas empresas NEO Soluções Ambientais (2014) e Embrapa Florestas (2015) atuando, respectivamente, em Licenciamento ambiental e Inventário florestal; Práticas de manejo silvicultural e agroflorestal para sistemas multiestrata. Membro dos grupos de pesquisa: Produção e Tecnologia Sustentável na região Semiárida de Minas Gerais e Silvicultura na Região Norte de Minas Gerais.

Sandra Titon Custódio, Mestra em Ciência Florestal, Universidade Federal dos Vales do Jequitinhonha e Mucuri (UFVJM)

Possui graduação em Licenciatura em Ciências Biológicas pela Universidade do Estado de Mato Grosso. Tem experiência em Biologia de Criptógamas, com ênfase em samambaias e licófitas. Trabalhou como bolsista de Iniciação Científica (FAPEMAT), no laboratório de Criptógamos da UNEMAT, campus NX, desenvolvendo trabalho de conclusão de curso em Projeto de Assentamento Rural, avaliando os impactos dos mesmos sobre a flora de samambaias e licófitas. Mestre em Ciência Florestal pela Universidade Federal dos Vales do Jequitinhonha e Mucuri, na área de pesquisa Restauração e Conservação de Ecossistemas.

Marcelino Santos de Morais, Professor Adjunto, Curso de Geografia (FIH), Universidade Federal dos Vales do Jequitinhonha e Mucuri (UFVJM)

Possui graduação em Geografia, mestrado e doutorado (2014) em Geografia Física e Análise Ambiental pela Universidade Federal de Minas Gerais. Tem experiência na área de Geociências, com ênfase em Geomorfologia, atuando principalmente nos seguintes temas: educação ambiental, desenvolvimento sustentável, turismo, cartografia, impacto ambiental, carste e recursos hídricos. Atualmente é Prof. Adjunto III da Universidade Federal dos Vales do Jequitinhonha e Mucuri (UFVJM).

Danielle Piuzana Mucida, Professora Associada, Curso de Geografia (FIH) e PPG em Ciência Florestal , Universidade Federal dos Vales do Jequitinhonha e Mucuri (UFVJM)

Possui graduação em Geologia pela Universidade Federal de Minas Gerais (1995), mestrado em Geologia pela Universidade de Brasília (1998) e doutorado em Geologia pela Universidade de Brasília/Australian National University (2002). Possui pós-doutorado pela Universidade Federal de Minas Gerais (2005) em Geocronologia e pós-doutorado em 2016-2017 junto ao Programa de Pós Graduação em Geografia e Análise Ambiental do Instituto de Geociências da UFMG. Atualmente é professora Associada II vinculada ao curso de Geografia-Licenciatura da UFVJM e integrante do Programa de Pós Graduação Stricto Sensu em Ciência Florestal (PPGCF- UFVJM). Coordena o Espaço GAIA - Geociências, Arte, Interdisciplinaridade e aprendizagem - projeto de extensão continuado desde 2011, com enfoque em divulgação científica e desenvolvimento de práticas lúdicas voltadas para o ensino aprendizagem. Tem experiência na área de Geociências, Geografia, análise de paisagem.

Publicado
2020-06-03
Como Citar
CAVALCANTE DE JESUS FRANÇA, L.; SOARES MENEZES, E.; TITON CUSTÓDIO, S.; SANTOS DE MORAIS, M.; PIUZANA MUCIDA, D. Modelagem da fragilidade ambiental potencial de Almenara, Minas Gerais. Recital - Revista de Educação, Ciência e Tecnologia de Almenara/MG, v. 2, n. 1, p. 37-59, 3 jun. 2020.
Share |